A Gripe

Chega o inverno e com ele chega também o pingo no nariz, os espirros, a febre e a sensação de mal-estar provocada pelo vírus da gripe.

A Gripe

A Vacinação

Todos os anos a situação repete-se, muitas vezes com consequências que afetam não só o quotidiano de todos nós, mas que vão muito para além disso, provocando inúmeras mortes por todo o mundo, em especial nos grupos de risco.

A vacinação é um método muito eficaz para prevenir as consequências da gripe.

Por isso, fique a conhecê-la em pormenor.

Transmissão

O contágio do vírus da gripe acontece através de gotículas de saliva que habitualmente expelimos quando espirramos ou tossimos. Assim, as mãos poderão facilitar a transmissão por tocarmos numa superfície ou numa pessoa contaminada. Um doente tem a capacidade de transmitir o vírus da gripe um dia antes do início dos sintomas e na semana seguinte.

Sintomas

O início dos sintomas começa, em geral, 2-3 dias após a infeção, afetando normalmente todo o organismo. Os sintomas mais característicos são a febre (de início súbito), o desconforto, o cansaço e as dores musculares. Adicionalmente, também poderão surgir dores de cabeça, perda de apetite, tosse seca, espirros, garganta inflamada, nariz entupido, arrepios, vómitos ou diarreia.

Os grupos de risco estão normalmente sujeitos a sintomas graves, com a possibilidade de ocorrência de complicações mais graves como pneumonia, bronquite, sinusite ou otite.

Tipos de vírus

A gripe é provocada pelos tipos A e B do vírus. A diferença entre ambos deve-se às características que cada um apresenta. No entanto, uma característica comum deste vírus é a sua capacidade para alterar a sua constituição. Estes microrganismos, ao conseguirem alterar a sua estrutura, levam a que as pessoas possam ter gripe sazonal várias vezes ao longo da vida. Assim, a vacina é uma forma de prevenção importante que permite às pessoas estarem protegidas contra o vírus, devendo ser tomada anualmente.

Prevenção

A prevenção deverá ser feita com recurso à vacina da gripe, mas também através de hábitos de higiene e da adoção de um estilo de vida saudável. Devem, aliás, ser tidas em conta regras para diminuir o risco de contágio, entre as quais:

  • Lavar as mãos com sabonete e água ou com álcool gel antisséptico, principalmente antes das refeições, depois de tocar na cara, na boca, nos olhos ou no nariz e ainda após a utilização de sanitários;
  • Evitar tocar na cara, nariz, boca ou nos olhos;
  • Evitar o contacto próximo com pessoas com gripe;
  • Dormir bem, praticar exercício, manter-se hidratado e ter uma alimentação saudável;
  • Tapar a boca e o nariz com um lenço de papel descartável quando espirrar ou tossir, e de seguida colocá-lo no lixo;
  • Se estiver com gripe ou com sintomas muito idênticos, permaneça em casa, de preferência isolado dos restantes ocupantes da mesma.

Referências

http://www.saudepublica.web.pt/04-prevencaodoenca/046-Gripe/Gripe_Publico-Folheto.pdf

http://www.cdc.gov/flu/protecttkeyfacts.htm

http://www.ftu.gov/prevention-vaccination/vaccination/flugov_infographic.html

http://www.cdc.gov/flu/abouttqa/coldflu.htm

http://www.cdc.gov/flu/school/qa.htm

http://www.cdc.gov/flu/protecttwhoshouldvax.htm

http://www.webmd.com/cold·and-flu/cold·guide/ftu-cold·symptoms?page=2

http://www.healthline.com/health/cold-flu/cold-or-flu#3

Orientaçao da Direção Geral da Saúde nº 004/2016 de 23/09/2016; Vacinação contra a gripe Época 2016/2017